Dinheiro Emprestado

Muitas vezes, para conseguirmos realizar alguns sonhos e projetos, é necessário recorrer ao dinheiro emprestado, pois de outra forma, dificilmente conseguiremos atingir nossos objetivos. Isto se deve principalmente ao habito que o brasileiro possui em se focar no pagamento de dívidas e não na economia de recursos.

Acabamos achando mais fácil pagar o que já se deve, do que guardar o dinheiro que se recebe para a utilização futura. Isto porque as necessidades acabam urgindo em nossos orçamentos e no final, o dinheiro guardado acaba sendo utilizado para quitação de débitos. Mas o que se deve saber na hora de pedir dinheiro emprestado? Alguns cuidados são importantes, além de uma análise criteriosa do crédito solicitado e suas condições.

Dinheiro Emprestado Rápido (Foto: Divulgação)

Dinheiro Emprestado Rápido (Foto: Divulgação)

Algumas precauções na hora de solicitar dinheiro emprestado

Antes de decidir fechar contrato com algum banco ou empresa de crédito, é sempre bom tomar algumas precauções, como conhecer a instituição bancária à qual irá se vincular. Evite empresas com nome desconhecido, ou contratações feitas pela internet, pois nestas contratações é que existe a maior parte dos golpes cometidos por estelionatários.

Prefira sempre instituições de renome, e de preferência bancos, os juros praticados por empresas de crédito como a BMG ou a Crefisa podem ultrapassar tranquilamente a taxa praticada por instituições bancárias como o Bradesco ou Itaú, que entre os bancos, são conhecidos por praticarem os juros mais altos.

Sempre compare os juros antes de contratar, faça o calculo do juros, lembrando que ele é feito de maneira composta, ou seja, o juros de um mês, passa a integrar a base de calculo do mês seguinte. Por tanto, nunca se esqueça de verificar no contrato o valor fixo das parcelas e o total a ser pago.

Se tiver esta opção, opte pelo empréstimo consignado, pois os juros são consideravelmente maiores e fuja dos empréstimos para negativados, pois, se os juros para o empréstimo pessoal convencional podem chegar a 100% ao ano, para negativados este valor pode ultrapassar até 600% ao ano.

Modalidades de empréstimo

Outra coisa importante, na hora de solicitar dinheiro emprestado, é conhecer quais as modalidades de empréstimo disponíveis no mercado, e saber encaixar a modalidade escolhida ao orçamento mensal familiar.

Os tipos de empréstimo mais comuns são:

  • Empréstimo consignado: Um dos mais vantajosos, este tipo de empréstimo é formado por um acordo do empregador com a agência que recebe os proventos do funcionário. Mais conhecido por ser praticado por funcionários públicos, especialmente nos bancos da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, o empréstimo consignado em folha de pagamento pode ser contratado por qualquer empregado regularmente registrado, desde que a empresa possua um acordo de consignação com o banco, no qual os juros são preestabelecidos. Mesmo no caso de consignação para empresas privadas, o juros ainda costuma ser menor do que o do empréstimo pessoal, se tornando a modalidade mais vantajosa de todas.
  • CDC (Crédito Direto ao Cliente): Também conhecido como “Crédito pré-aprovado” esta linha de crédito possui juros intermediários, podendo ser contratada diretamente pelo netbank da instituição bancária, ou pelo caixa eletrônico, sem a intermediação de um gerente de empréstimos.
  • Empréstimo pessoal: Com os juros mais altos do mercado, o empréstimo pessoal deve ser apenas a última opção quando se pensa em adquirir uma dívida ao pegar dinheiro emprestado. Seus juros mensais podem variar entre 4% a 9% acumulando até 100% de juros ao ano. Os juros de um empréstimo pessoal são iguais ou, algumas vezes, até mesmo superiores aos juros de cartão de crédito.
  • Cartão de Crédito, Lis, Cheque especial, Limite de crédito: Estas outras formas de crédito são classificadas como produtos bancários acessórios à sua conta. De todos eles, o menos prejudicial, quando usado com cuidado, é o cartão de crédito, mas todos eles possuem um grande potencial para se tornar uma grande bola de neve, devendo ser evitados ao máximo e usados apenas quando não houver alternativa. Seus juros são mensais e altos, e podem chegar a comprometer o salário completo, prejudicando até mesmo o pagamento de contas básicas como aluguel ou contas de consumo.

Seguindo estas dicas, basta colocar o valor das parcelas na ponta do lápis e se lembrar de nunca comprometer mais do que 30% da sua renda mensal com dívidas de empréstimos, pois ao comprometer um valor superior a este, é possível que o sustento da sua família seja comprometido. Por tanto, todo cuidado é pouco, na hora de se endividar.

Imagem:Divulgação

Imagem:Divulgação

Muitas vezes, para conseguirmos realizar alguns sonhos e projetos, é necessário recorrer ao dinheiro emprestado, pois de outra forma, dificilmente conseguiremos atingir nossos objetivos. Isto se deve principalmente ao habito que o brasileiro possui em se focar no pagamento de dívidas e não na economia de recursos.

Acabamos achando mais fácil pagar o que já se deve, do que guardar o dinheiro que se recebe para a utilização futura. Isto porque as necessidades acabam urgindo em nossos orçamentos e no final, o dinheiro guardado acaba sendo utilizado para quitação de débitos. Mas o que se deve saber na hora de pedir dinheiro emprestado? Alguns cuidados são importantes, além de uma análise criteriosa do crédito solicitado e suas condições.

Algumas precauções na hora de solicitar dinheiro emprestado

Antes de decidir fechar contrato com algum banco ou empresa de crédito, é sempre bom tomar algumas precauções, como conhecer a instituição bancária à qual irá se vincular. Evite empresas com nome desconhecido, ou contratações feitas pela internet, pois nestas contratações é que existe a maior parte dos golpes cometidos por estelionatários.

Prefira sempre instituições de renome, e de preferência bancos, os juros praticados por empresas de crédito como a BMG ou a Crefisa podem ultrapassar tranquilamente a taxa praticada por instituições bancárias como o Bradesco ou Itaú, que entre os bancos, são conhecidos por praticarem os juros mais altos.

Sempre compare os juros antes de contratar, faça o calculo do juros, lembrando que ele é feito de maneira composta, ou seja, o juros de um mês, passa a integrar a base de calculo do mês seguinte. Por tanto, nunca se esqueça de verificar no contrato o valor fixo das parcelas e o total a ser pago.

Se tiver esta opção, opte pelo empréstimo consignado, pois os juros são consideravelmente maiores e fuja dos empréstimos para negativados, pois, se os juros para o empréstimo pessoal convencional podem chegar a 100% ao ano, para negativados este valor pode ultrapassar até 600% ao ano.

imagem:Divulgação

imagem:Divulgação

Modalidades de empréstimo

Outra coisa importante, na hora de solicitar dinheiro emprestado, é conhecer quais as modalidades de empréstimo disponíveis no mercado, e saber encaixar a modalidade escolhida ao orçamento mensal familiar.

Os tipos de empréstimo mais comuns são:

  • Empréstimo consignado: Um dos mais vantajosos, este tipo de empréstimo é formado por um acordo do empregador com a agência que recebe os proventos do funcionário. Mais conhecido por ser praticado por funcionários públicos, especialmente nos bancos da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, o empréstimo consignado em folha de pagamento pode ser contratado por qualquer empregado regularmente registrado, desde que a empresa possua um acordo de consignação com o banco, no qual os juros são preestabelecidos. Mesmo no caso de consignação para empresas privadas, o juros ainda costuma ser menor do que o do empréstimo pessoal, se tornando a modalidade mais vantajosa de todas.
  • CDC (Crédito Direto ao Cliente): Também conhecido como “Crédito pré-aprovado” esta linha de crédito possui juros intermediários, podendo ser contratada diretamente pelo netbank da instituição bancária, ou pelo caixa eletrônico, sem a intermediação de um gerente de empréstimos.
  • Empréstimo pessoal: Com os juros mais altos do mercado, o empréstimo pessoal deve ser apenas a última opção quando se pensa em adquirir uma dívida ao pegar dinheiro emprestado. Seus juros mensais podem variar entre 4% a 9% acumulando até 100% de juros ao ano. Os juros de um empréstimo pessoal são iguais ou, algumas vezes, até mesmo superiores aos juros de cartão de crédito.
  • Cartão de Crédito, Lis, Cheque especial, Limite de crédito: Estas outras formas de crédito são classificadas como produtos bancários acessórios à sua conta. De todos eles, o menos prejudicial, quando usado com cuidado, é o cartão de crédito, mas todos eles possuem um grande potencial para se tornar uma grande bola de neve, devendo ser evitados ao máximo e usados apenas quando não houver alternativa. Seus juros são mensais e altos, e podem chegar a comprometer o salário completo, prejudicando até mesmo o pagamento de contas básicas como aluguel ou contas de consumo.

Seguindo estas dicas, basta colocar o valor das parcelas na ponta do lápis e se lembrar de nunca comprometer mais do que 30% da sua renda mensal com dívidas de empréstimos, pois ao comprometer um valor superior a este, é possível que o sustento da sua família seja comprometido. Por tanto, todo cuidado é pouco, na hora de se endividar.

imagem:divulgação

imagem:divulgação

Saiba como conseguir dinheiro emprestado na internet!